Maratona Caixa de Santa Catarina - 42 km


Florianópolis, 30 de setembro de 2012. No relógio marcavam 7h10. Faltavam vinte minutos para a largada e estávamos na fila para a retirada do chip de cronometragem. Saímos da Lagoa da Conceição com antecedência; o atraso ocorreu porque esquecemos que a Beira Mar já estava parcialmente interditada para veículos devido a maratona. Após retirar o chip e receber um rápido cumprimento de boa prova, dos integrantes da equipe, me dirigi à largada, onde aproximadamente 550 corredores se preparavam para completar os 42.195 metros. Após a largada, em direção ao sul da ilha, no quilômetro 3 ouvi um trio de corredores falar que se eles mantivessem aquele ritmo, chegariam em quatro horas. Naquele instante pensei, esse era o meu objetivo de tempo, se eu acompanhá-los, não vou gastar energia para desenvolver o ritmo que pretendo. O trio de corredores avançou alguns metros e mantive uma distância. Em seguida, avistei o maratonista Eduardo Hanada, em um ritmo constante, firme. Ao ultrapassá-lo falei: Boa prova Eduardo. Ele me olhou e gentilmente respondeu com um sorriso: Boa prova!

No quilômetro 9, passamos ao lado dos corredores das provas de 10 e 5 quilômetros. Passei cuidando para encontrar os amigos Guilherme, Gabriel e Ricardo. Encontrei os três. Guilherme Lucas Weber, aos passos fortes, estava longe de aparentar a lesão que sofreu no tornozelo há 2 meses atrás. Pelas fotos, o tornozelo estava do tamanho do joelho, algo impossível de acreditar que em tão pouco tempo estaria ali, naquele domingo, determinado a completar os 10 quilômetros.

Quando cheguei na Beira Mar Norte, seguindo para o segundo retorno, o vento que avançava contra o corpo era intenso, o que me fez aumentar o esforço para manter o ritmo. Com o tempo nublado, algumas gotículas caíam. No quilômetro 21, estava tentando manter o mesmo ritmo do trio que estava seguindo. Eu conhecia as dores até essa quilometragem e sabia administrá-las.  Tinha forçado muito até ali e havia mais a metade da prova para percorrer. Estava começando a ficar exausto. No quilômetro 23, observei o trio se afastar aos poucos; e com eles afastavam-se as chance de chegar dentro do tempo que desejava.O Eduardo me ultrapassou. Segui reduzindo aos poucos o meu ritmo, não porque que eu queria, mas porque comecei a sentir dores na lombar; depois no joelho direito; logo em seguida, alguns espasmos na panturrilha faziam contrair os dedos dos pés de forma involuntária; em um momento não conseguia alcançar o bolso da bermuda para pegar um carbo gel, precisei alongar bastante o braço e só depois de muito esforço alcancei o bolso. Esperei chegar em um ponto de hidratação para ingerir o carbo gel. Por sinal a hidratação era excelente, água e isotônico Gatorade. 

As dores se alternavam, mas não deixavam de ser constantes, estava preocupado com o meu joelho. Quando estava me aproximando do quilômetro 30, eu precisava atravessar a passarela Nego Quirido - local de largada- e seguir em frente mais uma vez no sentindo sul, até o último retorno. Estava chegando os últimos 10 quilômetros. Quando entrei na passarela, o meu primo Ricardo, que com muita determinação, fez sua estréia na corrida de 5 km, estava me esperando e correu ao meu lado.Foram alguns metros valiosos, pois ouvi dele palavras de incentivo. Também avistei a equipe no final da passarela. Estava precisando. Depois de tanto tempo correndo, você não consegue mais se concentrar. Durante a prova, a boca secava rapidamente, o que dava a sensação constante de sede. Mas nenhuma sede era maior do que a de incentivos, que chegavam de corredores desconhecidos que passavam por mim e falavam: Vamos Marcelo, não desista. Sim, alguns falavam o meu nome, porque estava estampado nas costas da camiseta da equipe.

Faltando 10 quilômetros, quebrei. Precisei alternar alguns passos caminhando e dores; alguns metros de trotes e dores. E assim foi. Os raios de sol surgiram e vários corredores me ultrapassaram. No quilômetro 41, encontrei Michel que estava participando da corrida de 10km. Ao vê-lo, comecei a correr. Ela já havia completado a prova e foi ver se eu estava bem. Michel Marcelo Longo que já havia participado de 3 maratonas, se aproximou e disse: Vamos lá! Falta muito pouco agora! E voltou correndo ao meu lado. Era o incentivo em pessoa. Não parei mais de correr e ganhei forças para esquecer as dores. 

Quando nos aproximamos dos 900 metros finais, pude ver o sambódromo, local da chegada, mas foram os últimos 100 metros, e já sem forças para falar, que comecei a sorrir. Atravessei a linha de chegada com 4h26. Fiquei muito feliz com o resultado, 26 minutos acima do meu objetivo e em 390º colocado. Acredito que recebi uma overdose de endorfina ao cruzar a linha, porque em seguida pensei... quero fazer outra.


Foi assim...


A largada...

e os primeiros quilômetros.

A passagem pelo túneo... escuridão. No começo berros e risadas. Silêncio, dores e câimbras na volta. 

O preparo é tudo... teve uma galera que conseguia sorrir para a foto.

Os coqueiros e o vento...contra, diga-se de passagem.

Não importa o que você tem... mas onde você quer chegar.

O percurso.

Comentários

  1. Parabéns, Marcelo! Pela coragem em completar a maratona e pela facilidade em descrever em palavras o que você viveu. Confesso, eu chorei.
    Que venham as próximas!!!
    Um abraço, Fernanda Rosa.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Fernanda,
    O Michel fez a diferença no final, o tempo seria outro.

    Um abraço,

    ResponderExcluir
  3. Puxa, Marcelo. Muito legal o seu relato. Dá pra gente voltar no tempo e ver a maratona de um outro ponto de vista. Tenho certeza que cada um tem uma história diferente de superação e gosto muito de ler os relatos. Parabéns pela primeira maratona de muitas !!! Você foi muito bem. O sub-4 horas vai vir rapidinho. E que linda chegada. Emocionante, mesmo. E agora, qual será o nosso próximo desafio ? Curitiba...rs ??? Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Eduardo, cada um tem um história, e isso é cativante. Curitiba não vou poder participar. Agora serão provas aqui na região, até o final do ano. Seu relato também foi muito bom.

      Um abraço e bons treinos.

      Excluir
  4. Grande Marcelão! Realmente é emocionante a sua narrativa... Fico muito feliz em ter contribuido um pouquinho para esta sua conquista. Espero que sua determinação, garra e vontade contaminem cada vez mais pessoas que como nós, corremos por vários motivos, quebrar tabus pessoais, emagrecer (no meu caso atual, hehehe), além de ter uma vida mais feliz e saudável, conhecendo sempre novos destinos. Sei exatamente o que sentiu na linha de chegada dos 42K, pois é uma sensação muito boa e, confesso que estou com saudade dela. Mas ano que vem a gente resolve isso. Quem venha agora a meia maratona de Pomerode, dia 28/10, o meu retorno aos 21K. Estaremos lá pra mais uma aventura, com o apoio dos Soul Runners, sempre!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. O Anônimo sou eu!

    Michel Marcelo Longo - hehehehe, não tenho muita habilidade nestes blogs...

    ResponderExcluir
  6. Grande amigo, belas palavras que retrataram bem essa sua vitória. Vc é merecedor de tudo de melhor. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Thiago,
      Valeu pela mensagem. Faltou você nesta prova.

      Abraços,

      Excluir
  7. Mestre Marcelo, parabéns meu querido. Infelizmente não pude ficar até o fim pra te dar um abraço e os parabéns pessoalmente, mas quero que você saiba que estou muito orgulhoso por ter conseguido completar a prova, independente do tempo, e sabia disso, era só falar por 1 minuto com você que não deixaria dúvidas que iria concretizar esse seu objetivo.
    Na minha estréia em maratonas (10K), foi tudo muito especial, diferente e maravilhoso. Com certeza absoluta participarei de outras, contando sempre com o seu apoio e incentivo.
    Essa conquista é pouco pra você! Você merece muito mais, e outras conquistas virão sem sombra de dúvidas.
    Um grande abraço meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Guilherme, obrigado pelas palavras. Mensagens de apoio são muito importantes, senti isso nos quilômetros finais da maratona. Você também demonstrou uma grande determinação em realizar e principalmente completar a prova. Mesmo com a recente recuperação da lesão, você fez um ótimo tempo e uma bela estréia. Nos encontramos em outras provas. Mais uma vez obrigado pelo apoio.
      Um forte abraço.
      Bons treinos.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Desafio do Mirante - 4,7km

A Fratura

Corrida Internacional de São Silvestre - 15 km