Mountain Do Deserto do Atacama - 42 km

San Pedro do Atacama (Chile), 17 de Março de 2013. Uma maratona que começou em julho de 2012 com a inscrição para a prova, a compra das passagens e o início dos treinos em outubro.

Antes mesmo de iniciar, eu tinha duas preocupações básicas: a aridez do deserto de apenas 5% de umidade;  e a altitude de 2600 metros.



Montain Do Deserto do Atacama 2013. Foto: Alexandre Koda



Durante a prova, sempre observando o frequencímetro, e mantendo uma frequência entre 170 a 175 bpm, completei os 10 primeiros km em 1h02m, sendo que os 5 primeiros foram no asfalto. Uma das preocupações surgiu no quilômetro 17, um pequeno susto, por dois minutos senti uma leve tontura devido a altitude e o ar rarefeito. Primeiro momento da prova que precisei caminhar para recuperar o fôlego; e por alguns instantes pensei que não completaria. Eu tinha a minha meta de completar em menos de 6 horas a maratona.
Quando o mal estar passou, voltei a correr.

Mantendo o ritmo alcancei os 21km em 2h04m. Nos quilômetros seguintes, entendi o porque da orientação no simpósio técnico de começar a correr depois do km 29. No km 32, para se chegar ao Vale da Morte, era preciso atravessar uma montanha onde chegaríamos aos 2600 m, o ponto mais alto da prova. Começou a quebradeira. Após transpor a montanha o cenário reservava uma surpresa, ao fundo era possível observar as Cordilheiras dos Andes e uma Pepsi gelada, era servida pela organização da prova.

Ao me aproximar da Vila de San Pedro de Atacama, nos últimos 4 kms, comecei a reconhecer algumas estradas e paisagens. No dia anterior, havia alugado uma bicicleta e percorrido alguns pontos turísticos da cidade, o que foi bom, porque a sensação de reconhecer onde eu estava me trouxe um alívio, e a certeza de que a minha meta seria alcançada. 

Entrando na rua Gustavo Le Paige, uma das principais de San Pedro, que leva a Praça e até então o pórtico de chegada, alguns moradores aplaudiam cada corredor que passava, e eu retribuía com um gesto de "gracias". O ponto marcante, foi atravessar um corredor de pessoas nos metros finais, que aplaudiam e vibravam gritando o meu nome com palavras de incentivo. Completei a prova em 5h38m42s.

Posso afirmar que foi uma experiência única, um aperitivo para testar os limites do corpo e da mente; e continuará sendo para mim uma referência e aprendizado sobre até onde somos capazes de chegar.


Kiko - organizador do Mountain Do - repassando as últimas instruções na Praça de San Pedro de Atacama, um dia antes.

Recebendo as últimas instruções da prova.

No canto esquerdo da foto, os primeiros 195 m depois da largada.

Os primeiros 5km em asfalto... 

...depois estrada de terra, trilhas, dunas e muita areia.


A caminho do Vale da Morte... no 32km, pequenas dunas que minavam panturrilhas e joelhos. 
Foto: Alexandre Koda

Reta final... na rua Gustavo Le Paige. Detalhe: chegando com a camiseta seca, devido a aridez do deserto.

A chegada dos 42.195m do Mountain Do Deserto do Atacama.

... depois de 5h38m42s...



Nos trechos de estrada de chão batido... era possível correr.

Trilhas entre o Vale da Lua

Rumo ao ponto mais alto da prova (2600m), ao fundo a temida montanha...

...no km 32 quebradeira geral.

Ao fundo... o contorno da Cordilheira dos Andes.

Vale da Morte... à esquerda a estrada e alguns corredores. Cordilheira dos Andes ao fundo.

Caminhar tinha uma vantagem... era possível aproveitar melhor o cenário.

O desafio era manter um ritmo confortável nas dunas.

Trecho com cristais de sal sobre as rochas... e alguns arranhões.

O cenário.

Ao final da prova, exausto... e os dois chips, para garantir o marcação do tempo.

O percurso.



Tempo líquido: 5h38m42s

Distância: 42,195 km
Posição Geral: 133º de 222
Posição Faixa Etária 35-44 anos Masculino: 48º de 80

Comentários

  1. Cara que inveja de ti rs
    Por causa do meu trabalho já estive em Santiago mais de 20 vezes e parece que é sempre a primeira vez, Olhar a Cordilheira de cima é demais.
    Tenho o sonho de atravessar a cordilheira de bike um dia. Agora correndo também.
    E essa prova ai é pra profissional, tu mandou bem pra caramba. Parabéns.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Fábio!

      Obrigado. O lugar é incrível, até pareço repetitivo quando comento, mas descrevê-lo fica difícil de encontrar as palavras corretas. De Santiago a Calama, as cordilheiras nos acompanharam pela direita, e a esquerda era possível avistar o Oceano Pacífico.

      Uma boa prova de corrida nas cordilheiras, acredito que seja uma etapa do El Cruce, www.elcrucecolumbia.com! 100k em três dias.

      De bike deve ser muito bom também, pois existe a vantagem de ir muito mais longe.

      Abracos.

      Excluir
  2. Não sabia que você tinha corrido tudo isso. Parabéns! E ainda dentro do tempo que você estabeleceu. Que loucura! Muito massa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Enio,

      Sim, foi uma semana bem corrida, rs.
      Bom, mas aproveitei em abril para descansar bastante.

      Abracos e boas corridas!

      Excluir
  3. Que super experiência essa prova, Marcelo. Meus parabéns mesmo. Essa deve ter sido dureza. Mas acho que compensou pelo passeio e pelas belas paisagens. Gostei, vamos ver se me animo a ir algum dia. Show !!!
    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Eduardo,

      Vou diferente de tudo que já havia participado. O passeio também valeu muito, algo sempre lembraremos!

      Vale a pena, conciliar o passeio em um lugar diferente com a corrida.

      Bons treinos, e parabéns mais uma vez, pelo sub45min, nos 10k.

      Abracos.

      Excluir
  4. A NI MAL, cara eu imaginava que era muito dificil, mas olhando aqui, agora, vendo as dificuldades, foi muito dificil meu... e que imagens, de tirar o fôlego sem precisar correr muito, rs... e eu que estava me sentindo com meus miseros 7 km....

    Meu parabéns que prova de superação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jefferson,

      Realmente as paisagens da prova, foram de tirar o fôlego, a vontade era parar para apreciar melhor... mas a vontade de cruzar a linha de chegada, dentro do tempo para ganhar a medalha, foi maior.

      Bons treinos para a São Silvestre de 2013!

      Abraços.

      Excluir
  5. Fala Marcelo blz?
    Então cara, eu pensei em fazer o Dash, mas estava sem grana agora e deixei passar a inscrição. Pra eu fazer a prova em Brasilia eu não tenho gastos com passagem de avião já que não pago nenhum valor e também tenho desconto em hoteis apresentando o crachá da empresa. Ainda não sei onde vou correr mas aqui em Floripa é certo que já acabaram as inscrições rs.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Fábio, as inscrições esgotaram em 3 dias para o Dash. Quando decidi fazer, já era, terminaram.

      Bom, assim vou poder me dedicar para as maratonas desse ano.

      Abracos.

      Excluir
  6. Vencer um desafio,Procurar a superação,Escapar por um fio,isso o torna um campeão! Parabéns por mais essa vitória!
    bjs
    Karla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karla,

      Obrigado pela visita ao blog. Sim, a corrida nos reserva grandes desafios e superações, acredito que isso também à transforma, em algo viciante, rs.

      Bons treinos para você!
      Bjs.

      Excluir
  7. Marcelo, parabéns pela excelente prova!
    Eu e mais alguns amigos estamos planejando em ir em 2014, depois de ver esse seu depoimento aumentou a vontade de realizar esse sonho.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu William,

      Que bom que gostou do relato. Quanto a prova vale o investimento!
      Assim que as inscrições abrirem é melhor garantir a sua o quanto antes.
      Obrigado pela visita.

      Bons treinos.

      Excluir
  8. Parabens meu NOBRE!

    Grandes conquistas!

    Sucesso nas realizações!

    abraço forte

    Fabio Sardagna

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Desafio do Mirante - 4,7km

A Fratura

Corrida Internacional de São Silvestre - 15 km